Pular para o conteúdo principal

auto -estima- otimismo- seja feliz

11 maneiras para ser mais otimista

Tirar o foco das derrotas, direcioná-lo para as conquistas e ainda ter gratidão por elas. Aguçar a percepção para ver o lado bom da vida até se as coisas andam difíceis. Tudo isso ajuda a ter fé no futuro e ficar pronta para atrair mais sucesso.


Mulher feliz otimista
Getty Images
Em meio ao agito do cotidiano, fazemos pequenas listas mentais do que ainda não conquistamos, mas desejamos muito. Não raro, ficamos relembrando os tropeços e fracassos que obstruíram nosso caminho ou remoendo os sonhos que nem sequer chegamos a tentar realizar. É um comportamento normal: tendemos a achar que o que já temos não merece nossa atenção - são águas passadas, não desejamos mais - e o melhor é apostar todas as fichas no que ainda pode vir por aí. Ok, mas até certo ponto. "Há inclusive uma questão fisiológica: nosso cérebro é extremamente sensível a estímulos negativos; são eles que nos mantêm acordados à noite, rolando na cama", avisa o pesquisador do tema Pedro Calabrez, diretor da Neurovox, empresa de consultoria empresarial, em São Paulo. A palestrante motivacional e iogue americana Gabrielle Bernstein, autora do recém-lançado Milagres Já (Paralela), alerta: "O problema é que, quando focamos só no que há de ruim na vida, ocorre uma baixa de energia e bloqueamos nossa capacidade de produção". No entanto, há formas de treinar e, como se diz, olhar mais para a metade cheia do copo do que para a vazia. Ninguém está falando em negar a existência das adversidades - a vida é feita de altos e baixos, afinal. Trata-se de investir em um otimismo realista e equilibrado. Por exemplo, saber identificar e agradecer (intimamente ou diretamente a quem a ajudou) os acertos e ganhos. "A gratidão funciona de maneira recíproca. Se reconhecemos que alguém nos fez algo de bom, queremos retribuir e formamos um ciclo positivo à nossa volta", diz o psicólogo americano Ty Tashiro, autor de The Science of Happily Ever After (A ciência do felizes para sempre, em tradução livre), não publicado no Brasil. Confira atitudes para incrementar seu otimismo e deixar as portas abertas para as oportunidades e o sucesso.

1. Valorize suas relações

Todo mundo pode falhar e nos decepcionar. Deixe para trás a postura de contra-ataque nesses momentos e reflita sobre o valor das pessoas com quem você convive. Sempre podemos escolher perdoar e olhar os outros pelo bem que eles já trouxeram, continuam trazendo e ainda podem trazer para nossa vida. Sua mãe, afinal, vira e mexe se dispõe a ficar com as crianças. E a amiga já mostrou que é um eterno bom ouvido. É uma medida simples, mas a sensação de estar cercada de gente legal a fará se sentir mais amparada, forte e, claro, otimista.

2. Pare de reclamar

Faça um experimento para tornar sua vida mais leve: prometa ficar uma hora sem reclamar de nada. Pode ser difícil no começo, pois estamos acostumadas a nos queixar com certa frequência (muitas vezes até sem percebermos). Aos poucos, aumente o tempo até alcançar longos períodos, como um mês, sem lamúrias. Se tiver dificuldade, o filósofo Heni Cukier, de São Paulo, recomenda usar a técnica de reescrever a realidade. "É só parar e reavaliar a situação por outra ótica. O motorista que fechou seu carro pode estar lidando com uma questão urgente, como um filho doente esperando em casa." A mudança de perspectiva fará você pensar duas vezes antes de resmungar.

3. Elogie muito

É natural ressaltar os pontos fracos da própria aparência ou a falta de habilidade para algo. Tudo bem se funciona como incentivo para melhorar ou é só uma brincadeira para relaxar. Mas, se não há o equilíbrio de enxergar também suas qualidades e, pior, isso vira hábito, derruba o ânimo. Uma tática para reduzir a autocrítica exacerbada é elogiar-se mais. Não perca a chance de dizer a si quanto está bonita hoje ou como foi brilhante no relatório que fez. "É como um bumerangue, o humor é afetado positivamente", diz a iogue Gabrielle Bernstein. O elogio bate em você e volta na forma de uma onda de otimismo.

4. Use as adversidades a seu favor

A reação normal a um evento ruim envolve sentir pena de si mesma e medo do que virá a seguir. Mas esse é um caminho nada produtivo. Aproveite a oportunidade para testar a própria resiliência e ficar mais forte. Na prática, pare e analise, com o máximo de frieza possível, o que há de bom na sua vida e na situação em si. Por exemplo, se o momento é ruim porque a família atravessa uma crise financeira, pode ser que descubra que tem amigos incríveis, capazes não só de estar por perto na diversão mas de dar a maior força - e eles a ajudarão nessa fase, que não durará para sempre.

5. Comece o dia bem

"Os pensamentos nos afetam diretamente e os que temos logo de manhã dão o tom do dia todo", afirma Gabrielle. Por isso, a expert sugere definir uma intenção positiva assim que sair da cama: "Diga que será mais gentil consigo mesma e com os outros ou se proponha a incentivar colegas. Ou a ser mais tolerante."

6. Reserve um tempo para desconectar

O ritmo frenético do cotidiano e o contato permanente com os gadgets nos roubaram um momento essencial: o da autorreflexão. “"Quando nossa mente está muito ocupada, não absorve o que acontece ao redor e desligamos sensores importantes", alerta o psicólogo Tashiro. Ao perdermos a oportunidade de parar e pensar, não podemos nem avaliar de forma realista as experiências vividas, separando o que elas têm de bom ou de ruim. A dica é criar na agenda um espaço de reflexão (já!). Apenas desligue de vez em quando.

7. Não fique só de olho no gramado do vizinho

Não caia na tentação de comparar seus feitos com os de outras pessoas. Essa é uma das maneiras mais rápidas de perder de vista aquilo que você possui de mais bacana e dirigir o foco para o lado negativo de tudo. Isso porque a autoestima despenca: você logo pensa que não é suficientemente boa para conseguir o mesmo, nem sequer merece tanto as próprias conquistas. Interrompa esse processo: o primeiro passo é lembrar-se de que as pessoas têm suas características e seus talentos. Depois, como em um filme curtinho passando pela sua cabeça, recorde-se das suas habilidades, dos objetivos alcançados nos últimos anos e dos esforços que exigiram. Permita-se ficar entusiasmada mesmo com as menores vitórias, pois elas também foram essenciais para que chegasse aonde está.

8. Ria mais

Poucas ações são tão poderosas quanto dar risada. Quando gargalhamos, os hormônios do bem-estar - serotonina e endorfina - são liberados. Como resultado, sentimos que o corpo e a mente relaxam, a ansiedade diminui e, acima de tudo, o índice de satisfação com a vida aumenta quase que imediatamente. Para garantir esses benefícios, vale tudo, desde que o riso seja sincero. Invista mais tempo em ocasiões prazerosas, como sair com amigos para bater papo e falar besteira, ir com o parceiro (ou sozinha, por que não?) ao cinema assistir a uma comédia ou até fazer uma pausa no meio do dia para ver um vídeo bobo na internet. Administradas com sabedoria, as injeções de ânimo trarão reflexos para seu dia a dia.

9. Defina suas prioridades

As prioridades mudam ao longo da vida. Pode ser por causa de um grande acontecimento - como quando se casa ou se tem o primeiro filho - em função de uma nova decisão, como a de começar uma dieta. Segundo experts em motivação, quando mantemos em dia o balanço dos nossos principais objetivos, não desviamos o foco para o que não importa tanto assim e nos decepcionamos menos com os pequenos fracassos cotidianos. Tomamos consciência de que não vale a pena desperdiçar energia nem entusiasmo com peixe pequeno. A lista de prioridades atualizada também nos ajuda a conferir com certa frequência se continuamos no caminho certo - e mais vitórias virão.

10. Acredite mais no que está por vir

Ser grata pelos momentos de felicidade e conquista é fácil. Difícil é manter a sensação de que a vida é boa quando a pessoa enfrenta algum evento ruim ou atravessa uma fase complicada. A vontade é sumir do mapa, o otimismo desaparece. Para começar, vale saber que essas ocasiões, mais até do que as de vitória, trazem grandes lições e oportunidades de crescimento. É verdade que parece impossível lembrar disso em meio ao caos e ao drama. Mas resta encarar a realidade sem tentar se enganar. Imaginar que poderia ser diferente ou desejar um desfecho mágico não solucionará nada nem trará nenhum benefício. Mas olhar para a frente pode, sim, ajudar: "Quando há algo negativo acontecendo, dá força pensar que existe a 'mão do futuro' esperando para nos puxar", diz a psicóloga Bel César, de São Paulo. Ou seja, sempre haverá uma nova chance.

11. Perca a vergonha

Já reconhece um punhado de motivos para se sentir feliz com a vida? Não deixe passar em branco. Vença o silêncio e saia agradecendo a todos os envolvidos, da amiga que a faz rir ao marido supercompanheiro ou o chefe sempre disposto a ensinar. "Tendemos a achar que ficamos vulneráveis ao expor esse tipo de emoção. Engano nosso!", diz Tashiro. A atitude estreita laços, dá bem-estar e força.

Postagens mais visitadas deste blog

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS-





























































atores (delícias!)

CELEBRIDADES
Descamisados: atores (delícias!) tiram a camisa em nome de seus personagens no cinema
Rodrigo Santoro Claro que não poderia faltar uma beleza nacional, pois não só de tanquinhos gringos é feito o cinema. Rodrigo encantou a mulherada (e Cameron Diaz) no filme "As Panteras Detonando".

Kellan Lutz
Ele é mais que um rostinho bonito. É também um corpaço lindo. Essa outra delícia da saga "Crepúsculo" tira a camisa em cenas do longa épico "Imortais". E aguardem que vem mais por ai! Em 2014 ele será a estrela de "Hércules".











Justin Timberlake Com mais fama de bom moço do que de gostosão, no filme "Amizade Colorida" Justin mostra que pode arrancar mais que boas risadas de Mila Kunis. Com o torso bem definido, a gente não duvida!
















poemas-frases-pensamentos-Síndrome do Pânico

poemas-frases-pensamentos
Síndrome do Pânico

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humor?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.

Carlos Drummond de Andrade

(Via Geraldo Magno)