segunda-feira, maio 19, 2014

MOTIVAÇÃO-PILATES- exercícios-movimentos

MOTIVAÇÃO É CHAVE PARA A PRÁTICA DO PILATES

Repetição de exercícios permite melhoria na execução dos movimentos

 
Práticas corporais são indispensáveis para se manter com energia, livre de tensões e para alcançar o máximo de saúde e equilíbrio. Se você já praticou ou está praticando alguma atividade física regularmente, sabe que, no início, nossa motivação é alta e nos empenhamos para aprender e colher o mais rápido possível todos os benefícios daquela prática.
Mesmo quando nos dedicamos há algum tempo a uma atividade física que gostamos e que já dominamos, sempre nos deparamos em algum momento com a preguiça, a falta de motivação, aquela vontade de pular a prática "só hoje". Ainda que reconheçamos o grande prazer que essa atividade nos traz, muitas vezes temos a impressão que já experimentamos tudo e caímos numa certa monotonia. Com a prática de Pilates não é diferente. No início são muitas novidades, exercícios novos e desafios, nos deixando ávidos por aprender. Mas com o tempo, a série de exercícios passa a ser conhecida, alguns movimentos já julgamos dominar totalmente e, mesmo com a introdução de alguns exercícios novos, parece que caímos no "piloto automático".
É assim mesmo, a aprendizagem tem fases. E a repetição dos mesmos movimentos, longe de instalar o tédio e o desinteresse, tem uma outra função: a de permitir que cada um aprimore a qualidade da execução de exercícios ou posturas. Com excelência e maior domínio dos seis princípios do método Pilates (respiração, concentração, controle, fluidez, precisão e acionamento do centro de força) somos capazes de realizar os exercícios com mais naturalidade, atingindo a perfeita integração de todo o ser.
No início da aprendizagem não somos tão "competentes", mas como estamos mais motivados, tornamo-nos atentos e dispostos a assimilar os movimentos. Aprender os exercícios de Pilates é relativamente fácil, já que o que deve ser feito não é muito diferente de outras práticas que já experimentamos.

PILATES DEVE SER FEITO COM CONSCIÊNCIA

À medida que compreendemos o que nos é pedido e conseguimos realizar com razoável destreza, precisamos passar para a próxima fase que é a de como fazer os mesmos exercícios, colocando em prática simultaneamente os seis princípios.
Nessa nova fase, se não tivermos determinação e uma boa orientação, corremos o risco de cair no perigoso terreno da inconsciência, repetindo os movimentos de forma mecânica. Se assim fizermos, estaremos nos distanciados do objetivo da prática, caindo fatalmente no tédio, no desinteresse e no aborrecimento de perceber que não estamos evoluindo.
Aprender o método é relativamente fácil e rápido. Muito diferente é praticar com excelência, realmente compreendendo e realizando da forma correta. E, para isso, é necessário praticar com regularidade. Com a repetição, adquirimos novos "insigths", descobrimos novos caminhos para realizar o mesmo movimento e com isso somos capazes de repetir o mesmo exercício por anos, de uma maneira completamente nova, mais natural e muito mais eficiente.
Essa combinação de alongamento e fortalecimento desenvolvida por Joseph Pilates é uma abordagem completamente diferente daquela que estivemos acostumados a realizar em outros treinamentos. Só pode ser alcançada se praticada com afinco e regularidade, concentrando-se e seguindo as orientações específicas e detalhadas de cada exercício.
Fluência, precisão e controle só podem ser atingidos quando mantemos um ritmo adequado e aliamos a respiração ao acionamento correto do centro de força. Lembre-se que o acompanhamento de um bom professor é fundamental para identificar essas fases da aprendizagem e introduzir novos desafios que tornem o trabalho mais motivador, acrescentando modificações específicas para cada indivíduo, quando necessárias.
O respeito aos próprios limites, paciência e persistência são a chave do sucesso na pratica de Pilates. E de qualquer coisa na vida, não é mesmo?

Esta matéria foi útil para você?







comente...