Pular para o conteúdo principal

vida leve-religião-auto ajuda

9 ensinamentos  para uma 
vida leve




"Hoje, nosso foco está muito voltado para o mundo externo e nos esquecemos de cuidar da nossa mente, que, ao contrário do corpo, não tem limites", diz a monja Mudita, do Centro de Meditação Kadampa Mahabodhi, em São Paulo. Segundo ela, para viver de maneira leve é preciso parar, respirar e refletir sobre os próprios sentimentos. Faça isso sempre que estiver vivendo um momento ruim. Veja, abaixo, nove ensinamentos de Buda que podem melhorar muito sua vida!


1. CONTROLE SUA MENTE

A felicidade e o sofrimento não estão nas coisas em si, mas na forma como nos relacionamos com elas, diz a monja Mudita. Quando se está serena, nada a tira do sério. Segundo o budismo, pensar de maneira mais positiva manda os problemas para longe.


2. OLHE AO REDOR COM AMOR

Tudo depende das pessoas para existir: até mesmo a cadeira que a deixa mais confortável. É preciso olhar para o outro sabendo que, com certeza, ele fez algo de bom. Isso nos faz perceber que vivemos numa imensa rede de bondade, respeito e amor!


3. SEJA DONA DA SUA FELICIDADE

Quando temos boas ações, plantamos sementes que vão florescer em felicidade. O mesmo se aplica às ações negativas. Devemos perceber que somos portadoras da própria felicidade. Isso nos faz refletir antes de agir, pensar e falar.


4. ALEGRE-SE PELOS OUTROS

Quem nunca invejou a sorte da amiga que ganhou uma promoção no trabalho? Tente reverter esse sentimento. "Buda diz que se alegrar com a felicidade do outro faz com que tenha essa felicidade no futuro também", orienta a monja.


5. PRATIQUE O DESAPEGO

Uma das principais lições do budismo é praticar o desapego. "O apego é uma mente egoísta que faz você pensar só em si mesma e não no outro, além de gerar sofrimento caso você perca o que tanto estima", fala Mudita.


6. VIVA CERCADA DE GENTE DO BEM

Tenha por perto amigos que fazem florescer seu lado bom. E não deixe que gente estressada a faça perder a fé na vida. "Deseje o bem a elas e peça que consigam se libertar desse estado negativo", ensina Mudita.


7. SÓ VÁ ATÉ ONDE DER

Segundo a monja, é importante buscar locais que a deixem confortável e feliz. Por que se arriscar num parque de diversões se os brinquedos causam medo em você? "É preciso descobrir o que nos faz bem ou não", explica. Não tenha dúvidas de que respeitar seus limites a deixará mais leve!


8. ELIMINE A RAIVA DA SUA VIDA

Enquanto sua mente estiver tomada pela raiva, será difícil encontrar a felicidade. O budismo ensina a aprimorar a virtude da paciência, da compaixão e do amor. Assim, não haverá espaço para esse sentimento.


9. CONTROLE SUAS EXPECTATIVAS

Manter os pés no chão é um bom caminho para viver melhor: quem tem muitas expectativas tem mais chance de se frustrar, o que gera sofrimento. Viva em equilíbrio e deixe a vida fluir. "Tudo é impermanente neste mundo", diz Mudita. Um "não" agora pode se transformar num "sim" amanhã.


                                 

Postagens mais visitadas deste blog

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS-





























































atores (delícias!)

CELEBRIDADES
Descamisados: atores (delícias!) tiram a camisa em nome de seus personagens no cinema
Rodrigo Santoro Claro que não poderia faltar uma beleza nacional, pois não só de tanquinhos gringos é feito o cinema. Rodrigo encantou a mulherada (e Cameron Diaz) no filme "As Panteras Detonando".

Kellan Lutz
Ele é mais que um rostinho bonito. É também um corpaço lindo. Essa outra delícia da saga "Crepúsculo" tira a camisa em cenas do longa épico "Imortais". E aguardem que vem mais por ai! Em 2014 ele será a estrela de "Hércules".











Justin Timberlake Com mais fama de bom moço do que de gostosão, no filme "Amizade Colorida" Justin mostra que pode arrancar mais que boas risadas de Mila Kunis. Com o torso bem definido, a gente não duvida!
















poemas-frases-pensamentos-Síndrome do Pânico

poemas-frases-pensamentos
Síndrome do Pânico

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humor?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.

Carlos Drummond de Andrade

(Via Geraldo Magno)