quinta-feira, julho 25, 2013

YOGA E AYURVEDA JUNTAS

INVERNO

POSTURAS DE YOGA COMBATEM ALERGIAS DE INVERNO

Aprenda exercício de respiração para viver os dias frios com saúde

 

YOGA E AYURVEDA JUNTAS: POR UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL

O Yoga tem um "irmão", o Ayurveda, que significa conhecimento da vida (Ayus - vida; veda - conhecimento). Ambos fazem parte da cultura Védica e, portanto, partilham o mesmo objetivo: a libertação (moksha) da visão de si mesmo como limitado, insuficiente, separado do todo. Yoga e Ayurveda buscam o entendimento claro de um eu, em essência, livre de qualquer limitação e da natureza de plenitude. No ocidente, o Ayurveda pode ser visto apenas como o sistema de medicina tradicional indiana, pois é o que chega até nós, devido ao nosso interesse em buscar alternativas ou complementos ao nosso serviço de saúde. Mas o Ayurveda é algo muito maior. Como o Yoga, assenta na erradicação de uma visão reduzida do ser humano para um alargamento a um "eu maior", a visão da unidade na diversidade. Possui um caminho muito próprio e, como o Yoga, sempre tem em vista o equilíbrio, a harmonia e a manutenção de um estado radiante, luminoso, em todos os sentidos. É natural que o "vaidya", perito em Ayurveda, recomende posturas ou técnicas respiratórias, meditações e até mantras a quem o procura - igual ao que acontece na sala de aula das escolas de yoga.
Segundo o que aprendi com o Dr. Sandeep Shirvalkar, especialista em Ayurveda, primeiramente, para fazer o diagnóstico de quais posturas ou técnicas são mais indicadas para cada pessoa, são utilizados vários tipos de exames. Primeiro é feita uma observação do paciente, conhecendo sua história clínica familiar e condição geral individual para perceber a rotina e os hábitos da pessoa em relação ao sono, excreção, atividade física, entre outros, já que o Ayurveda propõe um regime ideal para cada pessoa, conhecido por dinacharya (dina - dia; charya - conduta). Em seguida, o especialista prossegue com o diagnóstico, apalpando e procurando no corpo do paciente irregularidades que possam existir. Muito peculiar é também o diagnóstico do pulso, da língua e da íris. Torna-se necessário conhecer a pessoa como um todo. Com isto, é possível descobrir o seu "dosha" (biotipo), tecidos e produtos excretados, que também podem estar desequilibrados. Além disso, é preciso conhecer as possíveis dependências da pessoa, ou outros tipos de abusos que esteja cometendo em relação ao corpo, como uso de álcool e cigarro. O diagnóstico também contempla exercícios físicos que a pessoa realiza, alergias e intolerâncias alimentares de cada um.

EXERCÍCIOS PODEM COMBATER ALERGIAS E SINTOMAS SAZONAIS

O Ayurveda preconiza o seguimento de uma dieta e estilo de vida específicos, perante as diferentes estações do ano. Isso é muito útil quando se lida com situações típicas de determinada estação, neste caso, o inverno. Vejamos o que nos afeta neste período: falta de sol, chuva, vento e frio em excesso. Estamos mais propensos a resfriados, espirros, tosse, expectoração, acumulação de secreção nos pulmões, etc.
É aconselhável, portanto, uma prática de posturas de Yoga mais vigorosa e dinâmica, como as séries de "Surya Namaskara" (Saudação ao Sol). Confira abaixo outra sequência simples de posturas para combater as alergias de inverno, retirada do livro "Guia de Meditação" (Ed. Dharma), de Pedro Kupfer. Este pranayama é feito inspirando pelas duas narinas e exalando de forma alternada, uma vez por cada uma:
  • 1Para começar, inspire suave e profundamente, de forma completa, enchendo os pulmões desde o abdômen até a parte alta do tórax. Retenha a respiração, com o queixo pressionando a parte alta do tórax, durante o tempo que se sentir confortável. Se possível, ao mesmo tempo, faça a contração dos esfíncteres (anûs, uretra, períneo). Em seguida, feche a narina esquerda e exale lentamente pela direita.
  • 2Agora inspire novamente pelas duas narinas. Retenha o ar pressionando novamente o queixo contra o tórax e contraia os esfíncteres (ânus, uretra, períneo). Expire agora pela narina esquerda, mantendo a direita bem fechada. Aqui você completou um ciclo. Faça essa sequência de oito a dez ciclos completos.
  • 3Adquirindo um pouco mais de prática nesta técnica, você poderá aperfeiçoá-la, mantendo parcialmente obstruída a narina pela qual você está exalando. Assim a passagem de ar será reduzida, permitindo que você desenvolva um excelente controle respiratório.
A prática areja os pulmões, tonifica o sistema nervoso, limpa as vias respiratórias, os seios frontais e nasais, melhora a digestão e aumenta a força de vontade.