Pular para o conteúdo principal

SOPA

Minha receita
                                            SOPA DE CEBOLA


Ingredientes:
  • 1 colher de sopa de manteiga;
  • 4 cebolas;
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo ou maizena
  • 1 colher de café de noz moscada;;
  • 2 tabletes de caldo de galinha
  • 2 litros de água;
  •  pães franceses;
  • Azeite;
  • 2 xícaras de chá de queijo parmesão.

Modo de preparar:
  • Em uma panela, refogar a cebola na manteiga, em fogo baixo, até murchar bem e ficar dourada;
  • Acrescentar a farinha e refogar um pouco mais;
  • Juntar a noz moscada, o molho de pimenta, o molho de soja e o caldo .
  • Acrescentar a água e misturar bem;
  • Se necessário, acrescentar o sal;
  • Cozinhar por aproximadamente 15 minutos;
  • Colocar o pão fatiado em uma assadeira, regar com azeite e levar ao forno para dourar.
  • bater no liquidificador o caldo 

se quiser coar e acrescentar a maisena até engrossar.
Servir com a torrada e o queijo



                    

Postagens mais visitadas deste blog

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS-





























































atores (delícias!)

CELEBRIDADES
Descamisados: atores (delícias!) tiram a camisa em nome de seus personagens no cinema
Rodrigo Santoro Claro que não poderia faltar uma beleza nacional, pois não só de tanquinhos gringos é feito o cinema. Rodrigo encantou a mulherada (e Cameron Diaz) no filme "As Panteras Detonando".

Kellan Lutz
Ele é mais que um rostinho bonito. É também um corpaço lindo. Essa outra delícia da saga "Crepúsculo" tira a camisa em cenas do longa épico "Imortais". E aguardem que vem mais por ai! Em 2014 ele será a estrela de "Hércules".











Justin Timberlake Com mais fama de bom moço do que de gostosão, no filme "Amizade Colorida" Justin mostra que pode arrancar mais que boas risadas de Mila Kunis. Com o torso bem definido, a gente não duvida!
















poemas-frases-pensamentos-Síndrome do Pânico

poemas-frases-pensamentos
Síndrome do Pânico

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humor?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.

Carlos Drummond de Andrade

(Via Geraldo Magno)