domingo, junho 16, 2013

 VIVER BEM -VIDA LONGA AO NAMORO
Vida longa ao namoro

Vida longa ao namoro

Relacionamento tranquilo protege de problemas mentais e físicos e induz a estilo de vida mais saudável
Namorar é bom, e se há vozes discordantes no planeta provavelmente elas não fazem barulho suficiente para serem ouvidas. Hoje em dia não são poucos os estudos que apontam que parceiros envolvidos num relacionamento estável estão de certa forma mais protegidos de alguns problemas de saúde.
Uma dessas pesquisas foi realizada pelo Departamento de Psicologia da Universidade da Flórida (EUA) e tratou especificamente do caso dos universitários com idades entre 18 e 25 anos. Foram ouvidos 1.621 estudantes.
Os jovens foram questionados sobre o tipo de relação amorosa, se sofriam de problemas psicológicos e afetivos e transtornos alimentares, se as notas na faculdade foram influenciadas por gripes, ferimentos, problemas de sono, bronquite, otites e mononucleose, entre outros problemas.
Beijo casal
Relação estável protege o casal de condutas arriscadas
Também foram levados em consideração o índice de massa corpórea dos alunos, o consumo de álcool, tabaco e drogas, assim como a vida sexual durante o ano acadêmico. Dentre as conclusões do estudo apareceu o fato de que universitários com namoro estável não só tinham melhor saúde mental, mas também física, com menos sobrepeso e obesidade do que os que estavam solteiros.
Os estudantes que namoravam firme apresentaram vantagens para saúde similares às dos casados felizes, desde a menor incidência de depressão, ansiedade e estresse até menor risco de sofrer doenças graves e crônicas. A relação estável também manteve o casal longe de condutas arriscadas, relacionadas ao consumo abusivo de álcool e drogas.
Agora, não se iluda, da mesma forma que as pesquisas apontam para os benefícios do namoro, elas - e o dia a dia - também demonstram que viver um relacionamento destrutivo, com base na competição, no ciúme doentio ou na falta de cumplicidade, confiança e respeito pode fazer exatamente o contrário pela sua saúde. Nestes casos, continua valendo o “antes só do que mal acompanhado”.