Pular para o conteúdo principal

    Supere seus vícios!

    Alguns alimentos despertam desejos incontroláveis. Entenda por que e aprenda a resistir



    Café

    Em doses moderadas, a cafeína até reduz a dor de cabeça e melhora o raciocínio. Em excesso, gera nervosismo, taquicardia, insônia, agrava a gastrite e leva à dependência química. Limite saudável: 3 xícaras (250 mg de cafeína) por dia


    Gordura

    Sabe aquela história do impossível comer um só? Ela é científica. Os alimentos gordurosos provocam menor distensão das paredes do estômago, o que adia a sensação de saciedade - e aí você fica tentada a comer mais. Para algumas pessoas, que têm o paladar aguçado para gorduras, parar é ainda mais difícil. Limite saudável: 30% do cardápio deve conter gorduras magras (leite desnatado, carne branca...). Frituras, só uma vez por semana! 




    Chocolate

    O chocolate estimula a produção de serotonina, que causa sensação de bem-estar. Por outro lado, quase todos os chocolates contêm grandes quantidades de açúcar e gordura - exagerar é ganho de peso na certa. Limite saudável: 30 g por dia, de preferência do tipo meio amargo





    Comece hoje

    Não minta para si mesma dizendo "Esta é a última vez", para justificar o descontrole. Mude sua rotina alimentar o quanto antes. Vai doer menos do que pode parecer. 


    Silencie a mente

    Cuide de sua saúde emocional. Vícios e compulsões frequentemente estão relacionados a estados de depressão, estresse ou ansiedade. Além do nutricionista, acompanhamento psicológico pode ajudar a livrar-se do vício. 


    Desmame

    Experimente uma técnica semelhante ao desmame: vá reduzindo o consumo compulsivo de alimentos aos poucos, até chegar ao limite saudável. 


    Escolha esperta

    Faça substituições por alimentos que agradem ao seu paladar. Exemplo: troque o chocolate por uma fruta bem doce, que você goste muito. 




    Peça a opção "P"

    Escolha e coma sempre a menor porção. Aos poucos, você se surpreenderá ao saber que não precisava de tanta comida para viver. 7



    Mantenha o controle

    Afaste-se da tentação. Não tenha o alimento sempre à mão, nem em casa nem no trabalho.







    Refrigerante

    A compulsão por refrigerante está relacionada à sensação de frescor e - no caso dos normais - ao excesso de açúcar. Já os refris de cola (normais e zero) possuem cafeína, substância que pode causar dependência. Limite saudável: substitua o refrigerante por sucos, chás e água. Deixe-os só para festas. 




















Postagens mais visitadas deste blog

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS-





























































atores (delícias!)

CELEBRIDADES
Descamisados: atores (delícias!) tiram a camisa em nome de seus personagens no cinema
Rodrigo Santoro Claro que não poderia faltar uma beleza nacional, pois não só de tanquinhos gringos é feito o cinema. Rodrigo encantou a mulherada (e Cameron Diaz) no filme "As Panteras Detonando".

Kellan Lutz
Ele é mais que um rostinho bonito. É também um corpaço lindo. Essa outra delícia da saga "Crepúsculo" tira a camisa em cenas do longa épico "Imortais". E aguardem que vem mais por ai! Em 2014 ele será a estrela de "Hércules".











Justin Timberlake Com mais fama de bom moço do que de gostosão, no filme "Amizade Colorida" Justin mostra que pode arrancar mais que boas risadas de Mila Kunis. Com o torso bem definido, a gente não duvida!
















poemas-frases-pensamentos-Síndrome do Pânico

poemas-frases-pensamentos
Síndrome do Pânico

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humor?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.

Carlos Drummond de Andrade

(Via Geraldo Magno)