Pular para o conteúdo principal

Ajuste seu foco

Celular. SMS. Facebook. Se sua atenção está perdida entre tantos estímulos, é hora de focar. Concentre-se no essencial. E torne-se uma pessoa mais realizada.


 Fico pensando se ele achava difícil focar. Afinal, falar em focar é fácil. Certamente, um texto produzido com essa técnica não é muito focado, objetivo. Joyce, Proust, 

Como manter o foco na era da distração: dicas práticas
Saiba aonde quer chegar. Se ainda não sabe, descubra.
Se você não tem objetivos claros, é difícil criar as condições para que eles aconteçam. E aí você começa mil projetos, mas não termina nenhum. Ou então nem começa nada, pois nada o empolga. "Quando não temos foco, andamos na correria sem saber mais para onde estamos indo, nem por quê", diz a filósofa Dulce Magalhães em seu livro O Foco Define a Sorte (Ed. Integrare). "Saímos fazendo mil coisas e esquecemos o que é essencial." Tenho uma amiga que passou por isso. Cuidava de mais cinco blogs, participava de grupos de discussão na internet, organizava projetos, cozinhava comida saudável e ainda tentava se concentrar no mestrado. A dissertação só andou quando ela reconheceu que essa era sua prioridade e que precisava de foco para terminá-la. Diminuiu pela metade os projetos e se concentrou em escrever. Deu certo. Se você não sabe aonde quer chegar, descubra. Faça terapia, tente se lembrar das coisas que o emocionam, que o fazem mais feliz. E tente se aproximar um pouco mais dessas coisas.
A cola da atenção é o interesse. Faça o que gosta.
"Seja lá quem formos, há sempre grande probabilidade de adiarmos aquilo que consideramos ser um porre total", diz Piers Steel, autor do livro A Equação de Deixar para Depois (Ed. Best Seller). Se algo é chato, a mente se desliga do trabalho. No fim das contas, concentração é uma questão de escolha: onde iremos depositar nossa atenção? Nesse processo de tomada de decisão, dois sistemas entram em ação: o córtex pré-fontal, que tem função executiva e faz as decisões de longo prazo, e o sistema límbico, que age com base no impulso, na emoção. O sistema límbico torna mais difícil fazer dieta, por exemplo, pois quer a gratificação imediata. Daí que esse sistema prefere emoções fortes: fazer qualquer tarefa que desperte seu interesse é muito mais fácil que realizar algo chato. Então é hora de se perguntar: estou fazendo o que eu gostaria? Se não, será que tem alguma maneira de eu me aproximar um pouco mais das minhas preferências?

Se precisa fazer algo chato, dê um jeito de se divertir.
Nem mesmo um rockstar vive apenas de shows e glamour: é preciso pegar fila em aeroporto, passar horas em ônibus, dar entrevista, autógrafos... Mesmo que você goste de seu trabalho, sempre tem alguma parte da rotina que é maçante. E aí não tem jeito: tem que tornar aquilo interessante. Como? Transforme em uma brincadeira. Tente fazer aquele relatório mala em menos tempo, ou se dê um prêmio a cada vez que cortar três tarefas da lista, por exemplo. A transformação da vida em um jogo é uma estratégia chamada "gamification", que ajuda a tornar qualquer coisa mais empolgante. Se não funcionar, cole um post-it com a frase: "esta tarefa NÃO vai ficar menos chata daqui a duas horas". Portanto, faça logo e livre-se dela. "Não é o mundo que muda, é o nosso olhar sobre ele que precisa se transformar", diz a filósofa Dulce Magalhães. Sabe a história de olhar o copo como metade cheio ou metade vazio? Pois é.
Como disse o arquiteto Mies Van Der Rohe, menos é mais.
"Fazer um grande número de tarefas não significa realizar muitas coisas", diz Leo Babauta, autor do livro Quanto Menos, Melhor (Ed. Sextante). De que adianta ter 20 blogs se nenhum é atualizado direito, começar 20 bandas que nunca ensaiam ou se matricular no pilates, na ioga e na natação e nunca conseguir ir a nenhum deles? Leo Babauta sugere que, para uma mudança efetiva, devemos começar aos poucos, uma meta mais ampla de cada vez, e três ou quatro projetos no máximo. Só passe para o próximo projeto assim que completar os que já começou. Da mesma forma, sua lista de tarefas deve ser enxuta: que tal colocar apenas as três coisas mais importantes do dia, e não enchê-la de coisas que não são prioridades? "Escolha realizar aquilo que tem mais impacto", diz Babauta. Ou seja: as coisas mais gratificantes, que trarão reconhecimento duradouro, desenvolverão sua carreira, transformarão sua vida pessoal. Comece revisando aquela longa lista de resoluções para 2013. Escolha um objetivo principal e dois secundários e foque neles.

Faça uma coisa de cada vez.
"Quando estiver comendo, apenas coma", diz Leo Babauta. Faz sentido. Muito se fala em multitasking, em ser multifunções. No mundo em que vivemos, ter várias habilidades é mesmo desejável. O que ninguém fala é que não é possível fazer várias coisas ao mesmo tempo. O que fazemos, na verdade, é trocar rapidamente de uma para outra. Se você está escrevendo um texto, por exemplo, e para a fim de atender o telefone, o cérebro leva até 20 minutos para se concentrar novamente. Segundo o artigo Your Brain and Multitasking ("Seu cérebro e a multitarefa", em inglês) da StartupNation, pessoas multifunções levam 50% mais tempo para concluir uma tarefa e estão 50% mais propensas a erros. O ideal, então, é ser monotasking. E fazer uma delas de cada vez. Um método ótimo para ajudar nisso é o Pomodoro, que ganha cada vez mais adeptos. Veja como funciona na página 40.

Limite suas distrações.
Já falamos que uma parte do seu cérebro é imediatista e gosta de gratificações imediatas, como receber comentários na internet. Por sorte, nascemos também com um instrumento capaz de driblar essa tendência - nosso "planejador" mental, o córtex pré-frontal. Alguns truques simples podem ajudar nisso e revolucionar sua rotina. Leo Babauta recomenda alguns: desligue as notificações de mensagens; determine um horário fixo para checar e-mails e entrar nas redes sociais (duas ou três vezes ao dia, conforme a sua necessidade). Se você for do tipo viciado, lance mão de programas que bloqueiam sites específicos por um período de tempo, como o Chrome Nanny e o Self Control. "É improvável que qualquer projeto de longo prazo receba a atenção que merece se todo mundo está ocupado respondendo e-mails", escrevem Thomas Davenport e John Beck no livro The Attention Economy ("A economia da atenção", sem tradução no Brasil). Os dois lembram que a atenção é um recurso não renovável, extremamente valioso e fundamental para os negócios nos dias de hoje. Você não vai querer desperdiçar a sua.
Crie rituais que tornem seu dia menos estressante.
Imagine sua mesa lotada de papéis, em que tudo é difícil de achar, com o telefone tocando o tempo todo. Não é nada fácil se concentrar nesse ambiente, certo? Pois acostume-se a criar um ambiente propício para a concentração. Estabeleça rituais que tornem sua manhã tranquila, como tomar café com calma, caminhar, meditar. Descanse a mente. E, principalmente, não abra e-mails assim que acordar. Faz uma diferença danada na vida. Ao começar a trabalhar, limpe o ambiente: crie o hábito de sempre organizar a mesa antes de pegar no batente. "Reserve suas horas de maior desempenho para as tarefas mais difíceis", diz o especialista em motivação Piers Steel. À noite, relaxe. Leia um livro, jante sem pressa, ouça música.

Aumente os momentos gratificantes em sua vida.
O psicólogo e pesquisador húngaro Mihaly Csikszentmihalyi estuda felicidade e criatividade. E o foco (ops) de boa parte de seu trabalho é o chamado estado de "flow", ou "fluxo". São aqueles momentos em que estamos tão absorvidos com uma tarefa que perdemos a noção do tempo. É como o desenhista concentrado ou uma criança brincando. Nesses momentos, parece que tudo flui. O foco é no momento presente: não existe passado nem futuro. Não há espaço nem mesmo para a felicidade, pois a pessoa está totalmente absorta. O bem-estar vem depois de concluída a atividade, quando surge uma sensação de gratificação imensa. No estado de flow, somos criativos, produtivos e temos atenção totalmente concentrada. Como atingir esse estado de fluxo mais vezes? Procurando tarefas de que gostamos e adequadas à nossa habilidade: nem difíceis nem fáceis demais.

Medite. Faça exercícios.
O que é o foco, afinal? Uma das respostas tem a ver com a ideia de estar inteiramente presentes. "Estamos sempre fazendo planos para o futuro ou pensando no que passou", escreve a filósofa Dulce Magalhães. "Talvez nosso maior desafio seja acordar para o instante e colocar nosso foco no agora." Diversas filosofias, como o budismo, falam da importância de estar presente em cada ato. A técnica mais usada para melhorar essa capacidade é a meditação. Os benefícios dela são inúmeros, comprovados por diversas pesquisas científicas. Não é fácil manter o foco no instante: mesmo imóveis, em posição de lótus, a cabeça segue em mil direções (como no texto que abre esta reportagem, na página 36). A meditação ajuda a perceber essa instabilidade interna e, com o tempo, torna mais fácil estar disponível para o que vier. Já os exercícios físicos são formas de renovar nosso estoque de energia: um corpo forte e saudável tem mais "gás" para atender às diversas demandas da vida. Terapias corporais, como massagem e tai chi chuan, também ajudam a manter os pés no chão e os olhos no agora.
 
Tomates para o foco
 
O método Pomodoro ajudou milhares de pessoas a se concentrar e fazer uma coisa de cada vez. Veja como funciona
 
1. Use um cronômetro para marcar o tempo. Pode ser um desses de cozinha ou um site específico, como e.ggtimer.com/pomodoro.
2. Marque 25 minutos no timer e dedique-os ao trabalho.Concentre-se em uma tarefa de cada vez, começando pelas mais importantes. Assim que terminar, risque a tarefa da sua lista.
3. Depois do pomodoro de trabalho, faça um intervalo de 5 minutos para o descanso.
4. Aproveite para se alongar, beber água, relaxar.
5. A cada 4 ou 5 pomodoros, faça um intervalo maior.

Postagens mais visitadas deste blog

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS

DESENHO DE BONECAS-MENINAS-IMAGENS-





























































atores (delícias!)

CELEBRIDADES
Descamisados: atores (delícias!) tiram a camisa em nome de seus personagens no cinema
Rodrigo Santoro Claro que não poderia faltar uma beleza nacional, pois não só de tanquinhos gringos é feito o cinema. Rodrigo encantou a mulherada (e Cameron Diaz) no filme "As Panteras Detonando".

Kellan Lutz
Ele é mais que um rostinho bonito. É também um corpaço lindo. Essa outra delícia da saga "Crepúsculo" tira a camisa em cenas do longa épico "Imortais". E aguardem que vem mais por ai! Em 2014 ele será a estrela de "Hércules".











Justin Timberlake Com mais fama de bom moço do que de gostosão, no filme "Amizade Colorida" Justin mostra que pode arrancar mais que boas risadas de Mila Kunis. Com o torso bem definido, a gente não duvida!
















poemas-frases-pensamentos-Síndrome do Pânico

poemas-frases-pensamentos
Síndrome do Pânico

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humor?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.

Carlos Drummond de Andrade

(Via Geraldo Magno)